tradicional

3 Dezembro, 2016
Lisboa dos Milagres, Lisboa Gaiata, Marcha, Amália Rodrigues, Letras, fados, Canções, Marchas, Letra, Portugal, Artistas portugueses, musica, fadistas

Amália Rodrigues – Lisboa dos Milagres

3 Dezembro, 2016
Cheira Bem, Cheira A Lisboa, Amália Rodrigues, Fados, Letras de fados, Letras de Canções, Marchas, Letra, Portugal, Artistas portugueses, musica, fadistas

Anita Guerreiro – Cheira Bem, Cheira A Lisboa

2 Dezembro, 2016
Malhão de Águeda, Amália Rodrigues, Fado, Artistas portugueses, musica portuguesa, cantora, fadista, fados, Amália, Musica popular, Portugal, Letra, Amália

Amália Rodrigues – Malhão de Águeda

2 Dezembro, 2016
Fadinho da Ti Maria Benta, Amália Rodrigues, Fados, Artistas portugueses, musica portuguesa, cantores, fadistas, fado, Amália, Comadre Maria Benta

Amália Rodrigues – Fadinho da Ti Maria Benta

28 Novembro, 2016
Laurindinha, Dulce Pontes, Letra, Popular, Musica tradicional Portuguesa, Musica Popular Portuguesa, Letras, popular, Canções populares, Musicas, Portugal

Dulce Pontes – Laurindinha

28 Novembro, 2016

José Mário Branco – Eu vim de Longe

28 Novembro, 2016

Fausto – Rosalinda

28 Novembro, 2016

Fausto – Navegar, Navegar

28 Novembro, 2016

Fausto – O Barco Vai de Saida

28 Novembro, 2016

Vitorino Salomé – Tinta verde

28 Novembro, 2016

José Afonso – Moda do Entrudo

27 Novembro, 2016

Não quero que vás à monda

27 Novembro, 2016

Ao passar a ribeirinha

27 Novembro, 2016

António Mourão – Sapateia

27 Novembro, 2016

A Bela Aurora

27 Novembro, 2016

Delicada da cintura

26 Novembro, 2016

Eu ouvi um passarinho

26 Novembro, 2016

Bailinho da Madeira

25 Novembro, 2016

Manuel Freire – Pedra filosofal

25 Novembro, 2016

Zeca Afonso – Maria Faia

25 Novembro, 2016

Vitorino – Menina estás à janela

25 Novembro, 2016

Brigada Victor Jara – Menino Jesus

25 Novembro, 2016

Brigada Victor Jara – Charamba

25 Novembro, 2016

Brigada Victor Jara – Vira de Coimbra

25 Novembro, 2016

Zeca Afonso – Vejam Bem

25 Novembro, 2016

José Afonso – Venham mais cinco

25 Novembro, 2016

José Afonso – Traz outro amigo também

25 Novembro, 2016

José Afonso – Ó minha amora madura

25 Novembro, 2016

Oliveira da serra

25 Novembro, 2016

Atirei o pau ao gato

25 Novembro, 2016

Josézito já te tenho dito

25 Novembro, 2016

O anel que tu me deste

25 Novembro, 2016

Brigada Victor Jara – Ao romper da bela aurora

25 Novembro, 2016

Brigada Victor Jara – Pézinho da Vila

24 Novembro, 2016

Vocês sabém lá

24 Novembro, 2016

Figueira da Foz

24 Novembro, 2016

Alcobaça

24 Novembro, 2016

Dom Solidom

24 Novembro, 2016

Moleirinha

23 Novembro, 2016

Ó rama, ó que linda rama

23 Novembro, 2016

Oliveirinha Da Serra

23 Novembro, 2016

Ó Rosa Arredonda A Saia

23 Novembro, 2016

Ora ponha aqui o seu pézinho

22 Novembro, 2016

Oh Malhão, Malhão

22 Novembro, 2016

A saia da Carolina

22 Novembro, 2016

O Carrapito da dona Aurora

22 Novembro, 2016

O Mar Enrola Na Areia

22 Novembro, 2016

A Caminho De Viseu

9 Novembro, 2016

Alecrim ao molhos

3 Novembro, 2016
Aldeia da Luz, Valsas Alentejanas, Musicas do Alentejo, Letras, Canções, Letra, Popular, Letras de Musicas, Musica Popular Portuguesa, Letras, Alentejo

Aldeia da Luz

27 Novembro, 2014
Cante Alentejano, Cante, Património, cultural, Unesco, Património Cultural, Portugal, Alentejo

Cante alentejano é Património da Humanidade

Cante alentejano é Património da Humanidade, O cante alentejano, um canto coletivo, sem recurso a instrumentos e que incorpora música e poesia, foi classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. A distinção foi aprovada, esta quinta-feira de manhã, pelo Comité Intergovernamental da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da Humanidade, que está reunido esta semana em Paris (França). O comité aprovou a candidatura do cante alentejano e a sua inscrição na lista representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade. A declaração do cante alentejano como Património da Humanidade foi aprovada às 11.18 horas (10.18 horas em Portugal continental), cinco minutos depois de ter começado a sua avaliação. Durante a fase de análise, na reunião do comité da UNESCO, a candidatura portuguesa foi considerada como um dos "bons exemplos de candidaturas seleccionadas pelo comité". Logo após a decisão, as vozes de cantadores alentejanos fizeram-se ouvir na sala onde está reunido o comité, na capital francesa, tendo a actuação sido amplamente aplaudida, no final. A candidatura do cante alentejano a Património da Humanidade foi entregue à UNESCO em Março de 2013, depois de, em 2012, o Ministério dos Negócios Estrangeiros ter decidido adiar a sua apresentação, por considerar que o processo não reunia condições para ser aceite. No final de Outubro deste ano, uma comissão internacional de especialistas da UNESCO deu um parecer positivo à candidatura, que classificou como "exemplar"
27 Novembro, 2011

Fado é Património Imaterial da Humanidade

Fado é Património Imaterial da Humanidade, O fado canta a vida e o destino de um povo há cerca de dois séculos, mas agora deixou de ser só nosso para ser de todos. Depois de várias horas de atraso, a candidatura do fado foi aceite pelo comité de 24 delegados da UNESCO.
5 Novembro, 2008
Milu Faleceu, Milu morreu, 82 anos, Actriz, Estrela, cinema

Milu morreu hoje aos 82 anos

Actriz portuguesa Milu morreu hoje aos 82 anos, Milu Faleceu, Milu morreu, 82 anos, Actriz, Estrela, cinema, Actriz portuguesa, Milu morreu hoje aos 82 anos, Estrela, Cinema, Anos 40, Anos 50, Cinema Português, Cantora, Actriz, Minha casinha, Estrela de Cinema
24 Outubro, 2007
Novo Disco, CD, Janita Salomé, Vinho dos Amantes

Janita Salomé, Vinho dos Amantes

Novo Disco, CD, Janita Salomé, Vinho dos Amantes. "Vinho dos Amantes” é uma ode ao viver pleno e intenso, uma criação em torno da poesia sobre o vinho. Um disco que tem todos os condimentos para surpreender. Nele, o cunho experimentalista de Janita assume-se de forma incontornável, lúcida e amadurecida. Longe dos ambientes e melismas alentejano-arabigoandaluzes, “Vinho dos Amantes” traz outras sonoridades que, presentes no imaginário de Janita Salomé, permaneceram latentes até ao momento. Rumo a outros universos musicais possíveis, Janita Salomé explora aqui o humor e a melancolia genuinamente portugueses, arriscando em outros domínios da construção melódica sem, no entanto, cortar o cordão umbilical com a matriz mediterrânea que perpassa toda a sua obra.