artista Quinzinho de Portugal, Contacto do Artista Quinzinho de Portugal, Espectáculos Quinzinho de Portugal, Musica Popular
Quinzinho de Portugal
11 Janeiro, 2018
Belito Campos, artistas, cantores, Portugal, Cantores, contactos Belito Campos, Musicas do Belito Campos, vídeos, artistas
Belito Campos
6 Janeiro, 2018
+

Rancho Folclórico e Artístico de Antões

Rancho de Antões, Rancho Folclórico e Artístico de Antões, Antões, Louriçal, Guia, Pombal, Ranchos, Zona Centro, Musica Popular, Folclore Português

Historial do Rancho:

O Rancho Folclórico e Artístico De Antões, pertence às freguesias da Guia e do Louriçal, e foi fundado em Outubro de 1997, e o seu primeiro ensaiador foi o Sr. Manuel Carreira, um dos mais jovens e talentosos alunos do saudoso Mestre António Oleiro.
Em 1978 foi efectuada a primeira actuação oficial, na nossa terra, numa festa onde foi efectuada um cortejo de madeiras e outros produtos, que se destinava a angariar receitas para construir arcos de enfeite para as Festas em Honra de S. Jorge.
Nesse mesmo ano o Rancho participou nas Marchas da Guia, e obteve o 1º lugar.
No dia 30 Setembro do referido ano de 1978, o Rancho participou num festival concelhio de folclore, que ocorreu em Pombal, onde obteve o 1º lugar.
Em 11 de Outubro de 1980 efectuou o seu primeiro trabalho discográfico, o qual foi editado em 1981.
Neste mesmo ano de 1981 procedeu-se à mudança radical trajes, isto após se ter efectuado uma recolha na nossa região, e foi possível recriar os trajes e os utensílios agrícolas do Regador, do carpinteiro, da Moleira, da Tremoceiro, do Pisador das uvas, a Trabalhadora da Dobadoura, o traje Domingueiro, de ir a missa, a trabalhadora dos Arrozais, os Azeitoneiros, os Noivos, Bailando de Outrora etc.
O nosso reportório foi recolhido na nossa região e este retrata-nos a vida sentimental e em especial a vida camponesa dos nossos antepassados.
Este rancho Folclórico tem recriado várias tradições em vias de extinção, tais como as Descamisadas, O canto das Almas, as Retalhadas, a Apanha da Azeitona, Malhadas, Bailes a moda Antiga, Matança do Porco, a serração da Velha, a Maia, etc.
Em actividade ininterrupta desde 1977, o Rancho Folclórico e Artístico de Antões é Sócio fundador da Associação Folclórica da Região de Leiria e Alta Estremadura.
Durante todos estes anos foram efectuados mais de 700 actuações, de Norte a Sul do País, em Festivais Nacionais e Internacionais de Folclore, em Festa e Romarias.
O nosso rancho também já actuou no estrangeiro, nomeadamente em Espanha, nos anos de 1994, 1998 e 2007, na Holanda, em 1996, na Alemanha em 1998, e na Suiça em 1999 e 2007.
Actualmente o Rancho conta com 45 elementos, e a sua toca é compostada por 3 acordeonistas, uma viola, um bandolim, um cavaquinho, reco-reco e ferrinhos.
Organiza anualmente o seu aniversário no último fim-de-semana de Julho, e já em Antões, vários festivais nacionais e internacionais de folclore.
O seu reportório é composto pelos seguintes temas: Marcha de entrada, muitas uvas, Oai esteja quieta, vira cruzada, vira doido, tacão e bico, O eleio, rosas de Portugal, ai que saudade, meninas vamos ao vira, água leva o regadinho, esfolhada, canivete de prata, todos ao terreiro, valseado, fuso, etc. (in)

Rancho do Centro Recreativo e Folclórico de Antões

Após a fundação do Rancho Folclórico e Artístico de Antões, em Outubro de 1997, houve necessidade construir uma sede social onde se pudessem fazer os ensaios, bem assim criar mais valias para a continuidade deste projecto cultural.
Por isso mesmo a direcção do Rancho, na altura liderada pelo Senhor António Maria da Silva, resolveram mandar elaborar um projecto dessa mesma sede, e para a sua concretização foi importantíssima a doação do respectivo terreno, pelo então Vice-Presidente da Direcção, António Maria Joaquim.

À associação foi dada pelos dirigentes de então a designação de Centro Recreativo Folclórico e Artístico de Antões, e tendo como lema “nós cremos no Futuro”, cujos estatutos são datados de 19/06/78, sendo a data da publicação no Diário da Republica nº192 III Série em 22/08/78.
Numa fase inicial foi constituída a cave, que albergava o bar onde eram realizados os ensaios do rancho.
Ainda sob a presidência do Sr. António Maria da Silva, o que permitiu a sua ampliação.
Devido a falta de financiamento públicos a referida sede social resumia-se à dita cave, contudo no final de 1990 e no decorrer de 1991, conseguiu-se o impulso final e foi colocado o telhado.

Após a colocação do telhado o presidente em actividade desde a função (António Maria da Silva), por livre vontade, resolveu não apresentar a candidatura a novo mandato, tendo sido eleita no inicio do ano 1992 uma nova direcção presidida por Rui Vicente da Silva, que se manteve em funções durante cerca de um ano, sendo nesta altura que foi inaugurado o novo bar da colectividade.
Em meados de 1993 é eleita uma nova direcção presidida pelo actual presidente, Carlos Manuel Mota de Carvalho, e nos anos seguintes procedeu-se à inauguração da sala de espectáculos, da sala de espectáculos, da cozinha, do elevador multiusos, bem assim de outras valências.

De seguida adquiriram-se os terrenos anexos à colectividade onde foi implantado um polidesportivo, sendo o mesmo inaugurado no dia 02 de Dezembro de 2001.
Neste momento já existe um projecto para a construção de balneários de apoio ao polidesportivo, sendo intenção desta direcção iniciar obras no corrente ano 2007.
A colectividade tem actualmente 259 associados, e encontra-se aberta diariamente aos sócios a à comunidade em geral.
Tendo em conta a existência do Rancho Folclórico, a vocação principal desta colectividade é a cultura, e das inúmeras actividades culturais, destacam-se as recriações de tradições de tradições em vias de extinção, tais como “O Canto das Almas, Serração da velha, a maia, descamisadas e bailes à moda antiga, a malhada, a retalhada, a apanha da azeitona, etc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.