Banda Top 5, bandas de baile, concertina, palco, orquestra, camiao palco, Contactos de bandas, bandas, bandas de baile, bailes, grupos musicais, musica para dançar, grupo musical, conjunto musical, Conjuntos Musicais, grupo de baile, grupos de baile, festas, arraial, arraiais, bandas de musica, grupos de musica
Banda Top 5
1 Janeiro, 2018
Contactos da Banda HMB, Os HMB, Contactos, Videos, Musicas, concertos, HMB, Artistas HMB, Artistas, Portugueses, Artistas Soul, Portugal, Contacto directo da banda
HMB
29 Dezembro, 2017
+

Ana Bacalhau

Ana Bacalhau, Artista, Cantora, Deolinda, Vocalista dos Deolinda, Ana Bacalhau, Contactos, Musicas, Contactos Ana Bacalhau, Concertos

Ana Bacalhau

Ana Bacalhau nasceu em 1978.
Queria ser professora de Português e Inglês quando era criança e, conforme planeado, seguiu os seus estudos nesta área. Mas as aulas de guitarra que tanto pedira aos seus pais levaram a que descobrisse a sua voz e uma vontade de fazer música que nunca mais a largou.

A primeira banda chamou-se Lupanar. Nasceu em 2001, de uma ideia conjunta de Gonçalo Tocha e Dídio Pestana de fazer música em Português, explorando sons, palavras e géneros musicais sem constrangimentos ou barreiras.

Aí conheceu Zé Pedro Leitão, contrabaixista, com quem formou o trio de Jazz Tricotismo, em 2005, onde exploraram em conjunto o seu gosto pelo Jazz e Blues.

A Deolinda chegaria em 2006. Com ela, o desejo de viver em exclusivo da música torna-se realidade e desde então tem calcorreado mundo com as palavras e sons da banda.

Para além do seu trabalho na Deolinda, partilhou a voz e o palco com outros músicos, como Gaiteiros de Lisboa, Sérgio Godinho, Xutos & Pontapés, António Chainho, Pedro Abrunhosa, Ana Moura.

Em 2013, recebeu o convite para participar numa canção promovida pela ONU, “One Woman”, de entre um lote de 25 cantoras, onde se incluem Concha Buika, Bebel Gilberto e Rokia Traoré. A canção pretende alertar para a defesa dos direitos das mulheres.

Estreou-se em palco a solo em Dezembro de 2013, com o projecto “15”, cantando algumas das canções que mais a marcaram desde os 15 anos de idade.

É cronista da revista Notícias Magazine desde Novembro de 2011, onde cumpre semanalmente um dos seus gostos de criança: escrever.

Cumpre agora uma vontade de há muito: lançar o primeiro álbum a solo. “Nome Próprio” será lançado em Outubro de 2017 e apresentado em palco a partir de Novembro.

in anabacalhau.pt

Lista de Reprodução Ana Bacalhau Youtube "AnaBacalhauVEVO"

Ana Bacalhau é uma cantora portuguesa, nascida a 5 de novembro de 1978, em Lisboa. Foi celebrizada como voz do grupo Deolinda, inspirado pelo fado e pelas suas origens tradicionais.

Aos 15 anos começou a tocar guitarra e a cantar. Em 2001 entrou para vocalista do grupo Lupanar com quem gravou um CD (“Abertura” de 2005) e participou num álbum de homenagem a Carlos Paredes.

Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, na vertente de língua portuguesa e língua inglesa, possuindo ainda uma pós-graduação em ciências documentais.

Em 2005 participou num trio de jazz e Blues chamado Tricotismo, com o qual tocou em bares e num hotel. Os Deolinda começaram em 2006.

É casada com o contrabaixista José Pedro Leitão, que também integrou os grupos anteriores.

Trabalhou como arquivista até março de 2009, altura em que abandonou a sua profissão para se dedicar profissionalmente ao grupo Deolinda.

A partir de novembro de 2011, inicia uma colaboração como cronista da revista Notícias Magazine.

Por iniciativa da ONU foi lançado em 8 de Março de 2013, dia internacional da mulher, o tema “One Woman” gravado por por cantoras e músicos de 20 nacionalidades diferentes. A cantora foi a representante Portugal. Outros nomes são Angelique Kidjo (Benim), Anoushka Shankar (Índia), Rokia Traoré (Mali), a espanhola Concha Buika e a brasileira Bebel Gilberto.

Em dezembro de 2013, estreia-se em palco a solo co projeto “15”, apresentado em seis concertos na Casa da Música e no Teatro São Luiz, onde cantava algumas das canções que mais a marcaram desde os 15 anos de idade.

Participa também num concerto colectivo de tributo a Joni Mitchell. Grava duas canções para o 2º volume “Voz & Guitarra” onde revisita “Sexto Andar” dos Clã e (Estrela da Tarde) de Ary dos Santos e Fernando Tordo.

No mês de março de 2014, atua em Lisboa, no Rossio, como convidada de Mafalda Veiga, cantando “Because The Night”, de Patti Smith. Ainda nesse ano canta com a cantora cabo-verdiana Teté Alhinho no B. Leza e junta-se à cantora de Jazz Joana Machado e a Rita Redshoes, no concerto de lançamento do álbum “Blame It On My Youth”, de Joana Machado, no Centro Cultural Olga Cadaval.

É um dos nomes indicados na campanha de crowdfunding do filme de Nuno Markl, não concretizado, onde se iria estrear como atriz.

Atua ao vivo com os They’re Heading West na Casa Independente e a solo no Festival Caixa Alfama de 2014.

Junta-se ao pianista Júlio Resende no projeto “O Bairro” apresentado em 10 de Janeiro de 2015 no espaço OndaJazz, na Fábrica Braço de Prata, em Lisboa. Ainda em 2015 participa no álbum “Cumplicidades” de Mestre António Chainho onde grava uma música com letra da sua autoria, “Certo Dia”. Participa também no tema “O Que Mais Custa” da Ala dos Namorados.

Apresenta-se ao vivo em São Paulo, nos dias 8 e 10 de Maio de 2015, para dois concertos inseridos no projecto “As Margens dos Mares”.

Com Aldina Duarte, Cuca Roseta, Gisela João, Manuela Azevedo, Marta Hugon, Rita Redshoes e Selma Uamusse canta a canção “Cansada” da autoria de Rodrigo Guedes de Carvalho.

Participa no Terreiro do Paço, em Lisboa, no segundo dia do espetáculo Voz & Guitarra, que encerra as Festas de Lisboa’15. Também em julho de 2015 participa em “500 Anos ao Tom D’Ela” em conjunto com Samuel Uria, Filipe Melo, Corda Língua e uma série de artistas locais, em Tondela, para as celebrações dos 500 Anos do Foral de Besteiros. Samuel Úria convidou depois Ana Bacalhau e Manel Cruz para um concerto em Estarreja.

Interpreta a canção do genérico do programa “Animais Anónimos” da RTP, com letra e música de Miguel Araújo e orquestração de João Só.

É convidada no disco “Está Tudo Dito” dos Marafona (2016). É editado um novo disco dos Deolinda e participa também nos concertos de homenagem à cantora Dina.

Pretendia começar a trabalhar num álbum em nome próprio e eventualmente escrever um livro (“um objecto sagrado para mim e sinto quase como heresia meter-me por esse caminho”).

O seu primeiro álbum a solo – “Nome Próprio” – será lançado em Outubro de 2017 e apresentado em palco a partir do mês seguinte.

 

wikipédia out.2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *