Bizarra Locomotiva, Banda de Metal industrial, Metal, contacto, Portugal, Bizarra, Locomotiva, Metálic, Musica Metálica, Metal Português, portuguesa, Rock
Bizarra Locomotiva
28 Abril, 2016
Jose Alberto Reis, Contacto Jose Alberto Reis, espectaculos, Artistas portuguesas, Artista Jose Alberto Reis, Cantor Jose Alberto Reis, espectaculos, contactos, concertos, artistas portuguesas, cantores portugueses, musica romantica, telefone do Jose Alberto Reis
José Alberto Reis
18 Abril, 2016

Os Anaquim são uma banda de Coimbra, liderada pelo compositor e letrista José Rebola. A sua música tem diversas influências de cantautores portugueses, dos quais se destacam Fausto, Sérgio Godinho e Zeca Afonso, mas ainda da canção francesa, da música country e do blue grass.

Com letras de constante atualidade e de uma ironia certeira, as suas actuações ao vivo são sempre sinónimo de qualidade, diversidade, boa disposição, interacção e festa.

Depois de uma excelente recepção ao seu álbum de estreia “As Vidas dos Outros”, que atingiu o nº 12 do top nacional de vendas, tendo também tendo também sido considerado um dos “Dez Melhores Álbuns Nacionais” desse ano, pelos leitores da revista Blitz, os Anaquim apresentaram-se nas mais importantes salas e festivais do país, como o Festival Sudoeste, Festival Marés Vivas ou a Queima das Fitas de Coimbra.

Ocupando o seu posto de firme valor na nova música portuguesa, o reconhecimento não se limitou a Portugal. Para além da Hungria, o seu segundo álbum “Desnecessariamente Complicado”, levou-os a países como a Namíbia, o Zimbabwe e a África do Sul.

Em 2016 os Anaquim regressam com “Um dia destes”, um disco maduro, que vem consolidar ainda mais a posição da banda no panorama musical português. Deste trabalho destacam-se as parecerias com artistas de referência, tais como: Jorge Palma, Luísa Sobral, Quiné Teles, Daniel Tapadinhas e Gabriel Gomes (ex-Maderedeus e Sétima Legião). Dar novos caminhos à sua sonoridade característica, continuando a explorar a diversidade da palavra escrita em português em tom irónico e certeiro, é o compromisso da banda liderada por José Rebola em “Um dia destes”.

(in Facebook)

Lista de Videos - Anaquim

… Se no início Anaquim começou por ser o projecto pessoal de José Rebola – e o seu alter-ego assumido — a recente gravação de “Desnecessariamente Complicado” culmina a afirmação do nome Anaquim como sinónimo de um colectivo de pleno direito do qual, para além de Rebola, continuam a fazer parte Luís Duarte, João Santiago, Pedro Ferreira e Filipe Ferreira. Sim, no novo álbum José Rebola é o autor quase exclusivo de letras e músicas, mas, segundo o cantor e compositor, “o resto da banda está mais interventivo nos arranjos, na transmissão das mensagens e na dinâmica dos espectáculos. E embora Anaquim seja uma personagem que continua a refletir alguns aspectos da minha personalidade, principalmente através das letras, transformou-se numa espécie de Captain Planet que só pode surgir com a união destes cinco Planeteers”. A verdade é que nunca como no novo álbum se sentiu tanto a luta de Anaquim contra uma quantidade surpreendente de “lados negros” – à semelhança do seu inspirador, Anakin Skywalker (“Guerra das Estrelas”). Em “Desnecessariamente Complicado”, José Rebola apura as conversas sobre as vidas dos outros, mas também é capaz de assinar poemas claramente auto-irónicos e atirar-se, sem medos nem vergonhas, a temas de clara intervenção política como o swingante “O Desilusionista” (o título diz tudo), o pungente “Livro de Reclamações” ou o folk-punk a dar para os Pogues “Hoje é um Bom Dia!”. Outro tríptico, este mais ensombrado, é formado pela marcha (quase) fúnebre “Se eu mandasse”, o psychobilly gingão com letra de filme de terror “A Semente do Medo” e uma inesperada pseudo-balada com piano (e orquestração, digamos, “celestial” no final) “O Jardim”. No entanto, estas trevas são contrapostas com temas surpreendentes como a lindíssima valsinha musette “Por aí”, o western “Onde acaba o Oeste?” (com Viviane a “duelar” com José Rebola entre um trompete mariachi e citações a Ennio Morricone), o ragtime fumarento de “…mas nunca em dias de Sol”, a pop descarada de “Já te disse mais de Mil vezes” e o jazz sexy de “Nós”. A estreia de Gil Figueiredo na produção desta obra de grande fôlego não é inocente: “Quisemos de propósito injectar alguma “frescura” no nosso som e o Gil surgiu como aposta conseguida. Desde o primeiro concerto que ele é o técnico de som da banda e uma espécie de sexto elemento com funções perto da consultoria. Uma das suas grandes forças, pela relação de proximidade, foi saber exactamente o que queríamos para este disco, pegar nessa visão e melhorá-la de acordo com os seus próprios padrões”, reforça Rebola. Depois de nos últimos dois anos terem dado dezenas de concertos – incluindo em festivais como o Sudoeste (duas vezes), Super Bock em Stock, Marés Vivas ou MED de Loulé, inúmeras Queimas das Fitas, auditórios e uma incursão no estrangeiro para participar na Ibero-American Week na Hungria – os Anaquim vão agora mostrar ao vivo a arte de “desnecessariamente complicar”.

(in Facebook Oficial)

Anaquim, Projecto musical, Coimbra, José Rebola, Banda Portuguesa de Coimbra, Musica portuguesa, Anaquim, Musicas, Musicas dos Anaquim, Site Oficial, Contactos, Videos, Fotos, Musica Portuguesa, Pop português, Rock, Folk, electro, Musicas, Portugal, Jorge Palma, Luísa Sobral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *