Artistas, Bandas, Banda Capitão Fausto, Os Capitão Fausto, Contactos, Videos, Fotos, Capitao Fausto, Capitão Fausto, Bandas portuguesas
Capitão Fausto
12 Março, 2016
Rebeca, Rebeca contactos, cantora Rebeca, Artista Rebeca, Contactos da Rebeca, Artistas, musica portuguesa, artistas, cantoras, musica, pimba, popular
Rebeca
18 Fevereiro, 2016

Cantora Rita Guerra

Rita Guerra - À Espera do Sol

Rita Guerra - Chegar a Ti

Rita Guerra - A Transformação

Biografia Rita Guerra

Considerada uma das melhores vozes Portuguesas, Rita Guerra nasceu em Lisboa, a 22 de Outubro de 1967. A paixão pela música encontrou-a ainda na adolescência e a sua voz única e rica granjeou-lhe o primeiro contrato discográfico aos 22 anos.

Com ele gravou, em 1990, o álbum de estreia “Pormenores Sem a Mínima Importância”, apadrinhado por Rui Veloso. Seguiu-se “Independence Day” (1995), totalmente cantado em inglês. “Desencontros” (2000), um álbum de duetos com Beto, confirmou a popularidade de Rita Guerra junto do público português, arrebatando um esmagador e duradouro sucesso de vendas e airplay.

“Da Gama”, um álbum étnico lançado em 2001, marcou uma nova viragem na carreira de Rita Guerra, de acordo aliás com as suas múltiplas facetas interpretativas. Produzido pelo maestro Pedro Osório, assinalou o primeiro encontro profissional da cantora com Paulo de Carvalho, outro dos participantes no disco.

Em 2002, no auge do sucesso do programa ‘Operação Triunfo’, Rita Guerra foi convidada pela RTP para representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção. Em Riga, na Letónia, cantou “Deixa-me Sonhar (Só mais uma vez)”. A classificação ficou aquém das expectativas, mas a critica internacional foi unânime em considerá-la a melhor voz e a participação mais bonita do festival.

O álbum “Rita”, lançado em 2005, marcou a consagração definitiva. Escrito e produzido por Paulo Martins, o disco é uma colecção de canções elegantes que potenciam a voz única de Rita Guerra. Edição da Farol Música, atingiu em Março de 2006 a marca da dupla platina, correspondente a mais de 40 mil unidades vendidas – e esteve nos lugares cimeiros do top nacional, ao longo de dez meses.

Pelo meio, a cantora foi presença em inúmeras colectâneas e edições especiais, além de voz convidada em álbuns de João Braga e do projecto Ovelha Negra. Continuou também a ser uma das vozes Portuguesas da Disney. “Hércules”, “O Príncipe do Egipto”, “Rei Leão”, “A Pequena Sereia”, “Branca de Neve” e “Tarzan” são apenas alguns dos filmes onde pode ouvir-se a sua presença inconfundível.

Ao vivo, ao longo de quase 20 anos, Rita Guerra cantou todas as noites, integrada no elenco do espectáculo do Salão Preto e Prata do Casino do Estoril. Teve ainda tempo para embarcar em duas digressões nacionais de enorme sucesso, com os espectáculos “As Canções do Século” (com Lena D’Agua e Helena Vieira, um trabalho também convertido em disco) e “POPera” (com Beto e Helena Vieira).

Rita Guerra - Gostar de Ti

Rita Guerra - Volta

Rita Guerra ao vivo Coliseu Porto [27/03/2015]

Rita Guerra - No Meu Canto

A 27 de Março de 2006, no Coliseu dos Recreios em Lisboa, Rita Guerra realizou o seu primeiro grande espectáculo a solo. O concerto marcou o regresso da cantora à estrada, numa digressão nacional de enorme sucesso e inúmeras solicitações, para salas e recintos sempre esgotados e assistências médias de 5.000 pessoas.

Em Maio desse mesmo ano, a sua participação no “Concerto Mais Pequeno do Mundo”, iniciativa da Rádio Comercial, esmagou todos os recordes de participação em antena, com mais de 3.500 chamadas telefónicas de ouvintes, disputando os escassos 20 bilhetes disponíveis.

Dando corpo ao crescente reconhecimento também internacional da sua voz única, Rita Guerra foi convidada para actuar, em Ponte de Sôr, na edição 2006 do prestigiado Festival Sete Sóis, Sete Luas (rede cultural de 30 cidades da Europa, África e Mediterrâneo).

Foi também convidada por Ronan Keating (ex-vocalista dos Boyzone) para gravar um dueto, a canção “All Over Again”, presente no mais recente álbum do cantor, “Bring You Home”. A edição nacional do álbum foi lançada em Outubro de 2006. Nesse mesmo mês, por ocasião da XIV Gala da Central FM, foi galardoada com o prémio de Mérito Artístico.

Seguiu-se posteriormente uma pausa de alguns meses, para maternidade. Em Fevereiro de 2007 nascia, em Lisboa, a bebé Madalena, filha do casamento de Rita Guerra com o músico e produtor Paulo Martins. A primeira filha de Rita Guerra veio assim juntar-se aos rapazes Diogo e Nuno.

Pouco tempo depois, em Abril, na mesma altura em que o single “Sentimento” começava a rodar nas rádios e entrou na banda sonora da novela da TVI “Ilha dos Amores”, a cantora iniciou, com a sua banda, uma digressão nacional (a tour “Deixa-me Sonhar”) com a qual percorreu o país e levou a sua música a largas dezenas de milhar de portugueses.

Entretanto, continuou a preparar novo material discográfico, de onde resultaram os 11 temas originais do álbum “Sentimento”, lançado a 24 de Setembro de 2007, tendo entrado directamente para o top nacional na primeira semana de lançamento.

Novembro marcou outro pico de popularidade para a cantora, com a estreia do seu novo blogue oficial no Sapo. Só nos primeiros três dias de promoção, o espaço registou quase 7.000 visitas.

Feito entretanto o pleno da imprensa escrita e dos programas televisivos de grande audiência da RTP, SIC e TVI (cuja novela “Fascínios” arrancou com dois novos temas da cantora), o álbum tornava-se disco de platina pouco depois da comemoração do 25º aniversário da carreira de Rita Guerra.

As celebrações ocorreram a 4 de Dezembro de 2007, no Hotel Cascais Miragem, onde a cantora deu um concerto muito especial, com o patrocínio da Cartridge World, líder mundial no reabastecimento de tinteiros e toners para impressoras, fotocopiadoras e fax. Inserido numa festa privada para 300 convidados, oferecida pelo hotel, o concerto estreou um novo sistema de som e luz e foi transmitido ao vivo e em directo pela Internet, no Portal Sapo Vídeos e também em streaming, para cerca de 12 mil computadores conectados, em Portugal e no mundo.

Com a chegada de 2008, além da mini-tour “Sentimento”, a cantora participou já em três projectos de solidariedade. O primeiro deles teve lugar a 15 de Fevereiro, na Aula Magna da Universidade de Lisboa. Destinou-se a angariar fundos para a Associação “Conhecer, Caminhar, Aprender” e marcou também a estreia do novo conceito de palco com dois andares e da espectacular cenografia, som e luz que acompanham agora a cantora e a sua banda, em todos os espectáculos ao vivo.

Seguiram-se participações nos CDs “Woman” – Mulher Passa a Palavra, da Liga Portuguesa Contra o Cancro; e “Infância Traficada”, colectânea para angariação de fundos com vista ao combate mundial ao tráfico infantil.

A 23 de Junho, imediatamente antes dos habituais espectáculos de Verão, o álbum “Sentimento” foi relançado ao mercado, com quatro temas extra, em formato acústico: “Castelos no Ar”, “Gostar de Ti”, “Sentimento” e “Mesmo Assim” – este último recuperado do álbum de estreia da cantora, “Pormenores Sem a Mínima Importância”.

Ao longo do Verão de 2008, com a sua banda, Rita Guerra voltou a percorrer o país em espectáculos ao vivo, actuando para dezenas de milhar de pessoas, de Norte a Sul de Portugal. Esteve igualmente presente nos principais programas de entretenimento dos canais de TV generalistas e contribuiu para diversas causas solidárias, onde se destaca o livro beneficente “50 Histórias de Quem foi Criança”, lançado em Outubro, em prol da Fundação Rotária.

Nesse mesmo mês, gravou o primeiro CD/DVD ao vivo da sua carreira, lançado em Dezembro de 2008. “O Melhor de Rita Guerra – Acústico ao Vivo” entrou imediatamente para o top nacional de vendas, atingindo o 1º lugar e ali ficando ao longo de sete semanas consecutivas, o que aconteceu pela primeira vez na carreira da artista. O álbum foi a grande sensação da música portuguesa no início de 2009, rapidamente atingindo a marca da dupla Platina.

Entretanto, em Abril, a cantora sagrou-se vencedora nos Top Choice Awards, na categoria de “Top International Female Singer 2009”, conforme votação da comunidade portuguesa residente no estrangeiro. Em comunicado, a organização da TCA refere que «a paixão e a determinação» de Rita Guerra foram capazes de «inspirar pessoas de todos os cantos do mundo a seguir os seus sonhos».

Com a chegada do Verão, Rita Guerra e a sua banda voltaram à estrada, na tour “PAZ 2009”, uma digressão já classificada como a mais bem sucedida de Rita Guerra, desde que começou a actuar ao vivo fora do Casino Estoril, em 2005. Esta tour levou a cantora, ao vivo, a quase todos os cantos do continente e ilhas, em 45 espectáculos que agregaram um impressionante público de mais 300 mil pessoas.

Fechada esta digressão, Rita Guerra voltou a estúdio, para preparar o seu novo disco. No final de 2009, «Luar» estava pronto para ver a luz do dia. Marcando uma nova sonoridade para a voz da cantora, capaz de seduzir os seus fãs de sempre e conquistar um público complemente novo, o trabalho foi lançado a 15 de Fevereiro de 2010 e uma semana depois teve entrada directa para o 1º Lugar do Top nacional de vendas!

Pelo meio, em Maio, Rita Guerra viu ainda ser lançado o single “Um Sorriso Vale Tudo”, uma canção e também CD ao qual deu a voz, com outros artistas portugueses, para angariar fundos a mais uma das suas causas: a Associação Terra dos Sonhos.

Entretanto, rapidamente chegando a Disco de Platina, o fenómeno «Luar» em disco estendeu-se a mais um Verão de enormes sucessos ao vivo, com a TOUR LUAR 2010, cujos espectáculos registaram afluências de público entre as 10 e as 15 mil pessoas, em noites verdadeiramente arrebatadoras.

Não espanta também, a esse propósito, que Rita Guerra tenha voltado a vencer, pelo segundo ano consecutivo, o Top Choice Award, na categoria de “Top International Female Singer 2010”. Ou que no Facebook, a rede social da internet onde ‘tudo se passa’, seja agora a voz feminina mais popular da rede em Portugal, com um número de fãs superior a 80 mil pessoas.

Já em 2011, Rita Guerra voltou a surpreender, agora com um novo conceito de espectáculo, a solo, acústico e intimista, para teatros e pequenos auditórios. Chama-se tão simplesmente «Noites ao Piano» e abarca, ao longo de hora e meia, alguns dos maiores êxitos da cantora, bem como algumas das canções que a influenciaram a ser cantora; músicas que Rita Guerra sempre cantou em bastidores e que são “paixões secretas”; e temas de outros artistas que fizeram História.

Pela sua natureza acústica e intimista, este «Noites ao Piano» com Rita Guerra destina-se apenas a teatros e pequenos auditórios com lotação limitada. É um conceito paralelo aos grandes espectáculos de Rita Guerra com a sua banda, que em 2011 continuarão também a rodar pelo país e estrangeiro, para os habituais públicos de milhares de pessoas.

Rita Guerra - Espectáculos - Management e Agenciamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *