Rita Guerra e Beto – Cavaleiro Andante

Rita Guerra – Chegar a Ti
25 Novembro, 2016
Paulo Gonzo – Jardins Proibidos
25 Novembro, 2016
+

Rita Guerra e Beto – Cavaleiro Andante

Vem no fim da noite sem avisar
Dança no silêncio do teu olhar
A chamar por mim,
a chamar por mim

Chega com a brisa que vem do mar
Brinca no meu corpo a desinquietar
Como um arlequim,
como um arlequim

Chega quando quer e não quer saber
Nem do mal que fez ou que vai fazer
É um tanto faz
crer ou não crer

Chega assim
Cavaleiro andante,
louco e triunfante
Como um salteador
P’ra no fim
Nos deixar a contas
Com as palavras tontas
Que dissemos por amor

E eu que jurei nunca mais cair
Nestes teus ardis nunca mais seguir
Esse teu olhar,
esse teu olhar

De nada nos vale tentar fugir
Para quê negar ou sequer fugir
Desse mal de amar,
Desse mal de amar

Chega quando quer e não quer saber
Nem do mal que fez ou que vai fazer
É um tanto faz crer ou não crer

Chega assim
Cavaleiro andante,
louco e triunfante
Como um salteador
P’ra no fim
Nos deixar a contas
Com as palavras tontas
Que dissemos por amor

(instr)

Chega assim
Cavaleiro andante,
louco e triunfante
Como um salteador
P’ra no fim
Nos deixar a contas
Com as palavras tontas
Que dissemos por amor

Chega assim
Cavaleiro andante,
louco e triunfante
Como um salteador
P’ra no fim
Nos deixar a contas
Com as palavras tontas
Que dissemos por amor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *